Como está?

Continuo deitada na rede, recebendo a brisa do mar no rosto e ouvindo Jack Jhonson, até que essas férias não está tão ruim como costuma sempre estar, após isso acordo com uma velha gritando e puxa meus fones de ouvido, depois me toco que era a minha Vó, ela diz que eu tenha que parar de ser rebelde, deve ser por que trocou de música e foi para uma música mais rock tipo a day to remember, mas oque há de errado ouvir música deitada? isso é ser rebelde? Ok vó. Depois ela me pergunta como eu estou, Sabe vó, eu estou com vários problemas familiares, pessoas que diziam que nunca iriam me esquecer ou abandonar fez os dois, meus pais não respeitam minha questão, e isso não me deixa bem, o menino que sempre amei e sempre vou amar nem olha na minha cara, muito menos fala comigo, minha melhor amiga me trata como a "parceira" dela, meu irmão nem se fala.. faz três anos que não o vejo, eu sinto falta do abraço dele mais que tudo e isso me deixa arrasada pra variar. Mas na verdade disse só um "Estou bem!" para ela. Por que eu tenho medo de falar isso para alguém? Por que?. Minha vó saiu desanimada, não queria magoa-lá. Levantei da rede, e fui até a beira do mar, senti uma enorme vontade de sair correndo pro mar, com fone e tudo, e esquecer desses problemas que praticamente nunca sai de mim, é tão difícil isso?. A pergunta que sempre me fazem é "Como está?" está tão na cara que eu estou mal assim?. Olhei para trás, Lupe começou a enfiar o fucinho entre minhas pernas, peguei ele no colo e levei ele para casa da praia, deite denovo mas dessa vez não escutei música pois diz minha Vó acha isso muito rebelde, comecei a ler uns dos livros do meu falecido Vô que sempre guardou com tanto carinho, comecei a ler um conto chamado "Decisões" Não deu nem dez minutos eu dormi de tão chato que é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário